sábado, 18 de setembro de 2010

Brasil vai demandar 30 milhões de moradias em 12 anos, diz FGV


Extra, Especial Casa Própria, 17/set 

Um estudo feito pelo professor Fernando Garcia, da Fundação Getulio Vargas (FGV), mostra que o Brasil precisará, nos próximos 12 anos, de mais 30 milhões de moradias. De acordo com ele, a expectativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas de um estado) em mais de 5% até 2022, vai fazer com que o Brasil entre no mapa das oportunidades mundiais.

O professor baseou seus estudos também nos recordes de crescimento da construção civil e de contratação de mão de obra, impulsionados, principalmente, pela isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para alguns materiais.

Em relação ao futuro do mercado imobiliário no país, o professor acredita que a construção civil e o petróleo serão os setores que mais crescerão nos próximos 12 anos. Além disso, ele afirma que os eventos esportivos que acontecerão no país - Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas de 2016 - trarão investimentos para o mercado de serviços, comércio e indústria.

No entanto, Garcia afirma que o cenário positivo só será concretizado se os preços da energia elétrica e do gás natural, por exemplo, não subirem demais e se a escassez de mão de obra for sanada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário