segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Anápolis: Frota crescente de automóveis resulta no congestionamento do trânsito e no engessamento do transporte coletivo

03/08/2012 - TCA

O grande desafio de Anápolis é melhorar a mobilidade urbana sustentável para garantir qualidade de vida à população - perto de 400 mil habitantes. Enquanto cresce a frota de veículos automotores, em proporções assustadoras, aumentam as dificuldades de deslocamentos, um problema que atinge de forma acentuada o transporte coletivo e a classe trabalhadora.

A opção pelo automóvel está tornando o trânsito insuportável, com desperdício de tempo e combustível, além dos problemas ambientais e de ocupação do espaço público. Em Anápolis, a frota de automóveis e motocicletas teve crescimento acima de 400% nos últimos dez anos e o resultado do congestionamento do trânsito é o engessamento do transporte coletivo. Se o trânsito para o ônibus também não anda.

Investimento de 100 milhões

Enfrentar o desafio da mobilidade com sustentabilidade é uma decisão de governo que exige projetos abrangentes e altos investimentos. Anápolis faz a lição de casa e deverá ser contemplada com verbas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade Médias Cidades, lançado pela presidenta Dilma Rousseff na quinta-feira, 19, em Brasília. O programa prevê a disponibilização de recursos de R$ 7 bilhões para 75 municípios com população entre 250 mil e 700 mil habitantes, que apresentarem projetos que buscam melhores condições de vida nos centros urbanos.

Licitadas por regime flexibilizado, as obras do PAC Mobilidade devem ocorrer em ritmo acelerado, com prioridade para os projetos que estejam em fase avançada de elaboração. Como Anápolis tem um projeto de mobilidade urbana em estágio de finalização, elaborado a partir de diagnóstico da Companhia Municipal de Trânsito e Transportes (CMTT), o próximo passo será a formalização do processo e a busca da verba federal. Algo em torno de R$ 100 milhões. Recursos suficientes para a execução de obras importantes como otimização da malha viária, construção de viadutos, criação de corredores e faixas exclusivas para ônibus, melhoria da sinalização de trânsito e padronização de calçadas públicas no quadrilátero central.

Acessibilidade é prioridade

Sem embargo dos investimentos na saúde, na segurança e em outros setores vitais ao crescimento sustentável é imperativa a priorização de um projeto global de mobilidade urbana. Está em jogo não apenas a sobrevivência do eficiente sistema de transporte coletivo da cidade, mas também a acessibilidade da população de uma forma geral. É um projeto estruturante que vai definir os padrões de qualidade de vida em Anápolis na próxima década, diante do desenvolvimento da região, na esteira do agronegócio, da industrialização e do comércio exterior, e do crescimento acelerado da economia do município, como centro de distribuição, pólo tecnológico e outros referenciais que colocam a cidade entre as 100 melhores do Brasil para investimentos.

TCA faz sua parte

A TCA investe forte em acessibilidade há décadas com a implementação de projetos que melhoram a qualidade de vida da população. Destaque para a integração total das linhas do sistema de transporte coletivo urbano, com segundo embarque gratuito no Terminal Urbano. Além do benefício social gerado pela gratuidade do segundo embarque, a logística da integração gera conforto e rapidez ao sistema. Outro projeto importante da TCA em favor da mobilidade urbana é o controle informatizado de todas as viagens. O usuário pode consultar a lista dos horários nas plataformas de embarque do Terminal Urbano. Assim, cada cliente da TCA é um fiscal do sistema, que não falha, gerando qualidade de vida para o trabalhador e segurança para as empresas que não precisam investir na criação de serviços particulares de transporte. A eficiência do transporte público de Anápolis contribui para a geração de emprego e o desenvolvimento econômico.

A implantação da bilhetagem eletrônica de última geração, em 2005, foi mais um investimento importante da TCA em mobilidade urbana. Com o cartão inteligente do Sait o embarque é mais fácil, mais rápido e mais seguro.

Pioneirismo em embarque de portadores de necessidades especiais

Na década de 1990, a TCA foi pioneira da implantação de plataformas para o embarque com cadeira de rodas, no Centro-Oeste, antes de Goiânia e Brasília. Atualmente, 30% da frota da empresa oferece acessibilidade a portadores de deficiências motoras, uma estatística que classifica o nosso sistema de transporte público com um dos mais avançados do país em automação. Ao investir em tecnologia, a TCA torna-se uma empresa cada vez mais social.

Corredor exclusivo é solução

Apesar do gargalho trevo da BR-060, o desempenho operacional das linhas do Daia trouxe benefícios ao conjunto do sistema de transporte coletivo da cidade, diminuindo o tempo das viagens num corredor de grande extensão e que concentra acentuado volume de passageiros. Faixas exclusivas para os ônibus não representam diminuição de espaço para os demais veículos. Corredor viário estrutural com faixas preferenciais de transporte coletivo é logística de Primeiro Mundo e solução técnica que beneficia não apenas o sistema de transporte coletivo mas o trânsito das cidades como um todo.

O projeto busca otimizou e racionalizou a utilização da infra-estrutura de transporte existente e incorporou avanços que beneficiaram motoristas, passageiros, motociclistas, ciclistas e pedestres. O corredor gera qualidade aos deslocamentos e fortalece a consciência da cidadania, através da democratização dos acessos às oportunidades que a cidade oferece. É um instrumento a serviço da organização do espaço urbano, como indutor do seu processo de ocupação.

Anápolis tem hoje 180 mil veículos em circulação e a criação de outros corredores com faixas preferenciais de transporte coletivo serão criados para racionalizar o trânsito e melhorar a qualidade de vida. O projeto da Avenida Brasil resultou de uma parceria entre a CMTT e a TCA e foi exportado para o Distrito Federal, que implantou oito faixas exclusivas para ônibus nos últimos dois anos.

Com o plano de mobilidade urbana em estágio avançado, a cidade poderá ser contemplada com verbas substanciais do Governo Federal para investimentos destinados à acessibilidade. A abertura de novas faixas exclusivas para ônibus, um projeto simples, econômico e ecológico, será uma das prioridades, segundo diagnóstico da CMTT.

Nenhum comentário:

Postar um comentário