quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Duplicação da Rodovia do Contorno será concluída em abril, diz DNIT-ES

21/02/2013 - G1

Serviços de complementação estão em fase de acabamento, diz Luiggi. Superintendente também fala sobre outras obras previstas.

As obras de duplicação dos 26 quilômetros do trecho da BR-101 conhecido como Rodovia do Contorno - que estão sendo executadas pela União e já duram mais de uma década - devem ser concluídas até o final de abril, é o que garantiu o superintendente do Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes no ES (Dnit), Halpher Luiggi. De acordo com ele, os serviços de complementação, que vão interligar os dois viadutos construídos na rodovia, já estão em fase final de acabamento.
Em entrevista ao programa Bom Dia ES, na manhã desta quinta-feira (21), o superintendente falou sobre os projetos de infraestrutura previstos para as rodovias do Espírito Santo . Entre eles, estão os de duplicação da BR-101 e BR-262, que devem ser concedidas à iniciativa privada.
"A partir da assinatura do contrato existe um cronograma de 10 anos para que toda a rodovia esteja duplicada, porém o processo de concessão ainda não foi concluído. Já em relação à BR-262, o edital para o leilão de concessão já foi aberto, e no dia 19 de março de 2013 acontece a abertura das propostas. A expectativa é de que no inicio deste segundo semestre os serviços de duplicação na via, do trecho que vai de Viana, na Grande Vitória até a localidade de Vitor Hugo, no interior do Estado, comecem", afirma Luiggi.
O superintendente citou também as obras de recapeamento do asfalto que estão acontecendo na BR-101 Sul, no trecho que vai de Viana até a divisa com o estado do Rio de Janeiro. Esse ponto também deve ser duplicado. "O projeto já está pronto e aguarda apenas a liberação do Ibama", diz. Outro trecho da BR que também está recebendo melhorias é o que corta o município de Aracruz. A promessa é de que as obras fiquem prontas em julho.
No trecho que vai de Amarelos até o município de Iconha, região Sul do Estado, deve ser implantado o programa BR Legal, do Governo Federal, que prevê nova sinalização de toda malha rodoviária nas rodovias do país. O projeto, que ainda está em fase de licitação, deve acontecer simultaneamente em todo o Brasil.
Halpher comentou ainda sobre os números de acidentes registrados nas rodovias federais que cortam o estado. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), do inicio do ano até esta última terca-feira (19), foram registrados 978 acidentes, com 450 feridos e 31 mortos nas vias do Espírito Santo. Para ele, o índice tão elevado está ligado a dois fatores: imprudência e falta de investimento nas estradas.
"Pudemos constatar que existe uma grande quantidade de acidentes envolvendo veículos de carga e eventualmente com o cometimento de alguma imprudência. Existe ainda outro fator, que é o que compete ao poder público, que é intensificar a fiscalização para redução de acidentes e fazer os investimentos necessários para evitar que tragédias aconteçam", ressalta.
Para ler mais notícias do G1 Espírito Santo, clique em g1.globo.com/es . Siga também o G1 ES no Twitter por RSS .

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Dilma inaugura o primeiro estádio da Copa de 2014

16/12/2012 - O Estado de São Paulo

Também estiveram presentes, entre outras autoridades, o governador do Ceará, Cid Gomes, e o ministro do Esporte, Aldo Rebelo

AE - Agência Estado

O primeiro estádio da Copa do Mundo de 2014 foi inaugurado neste domingo, em Fortaleza. A presidente Dilma Rousseff foi a responsável por dar (duas vezes, para os fotógrafos) o pontapé inicial no centro do gramado do Castelão, usando a Cafusa, bola da Copa das Confederações. Também estiveram presentes, entre outras autoridades, o governador do Ceará, Cid Gomes, e o ministro do Esporte, Aldo Rebelo.

Veja também:
Blatter vê incidente entre São Paulo e Tigre como alerta para 2014
Brasil e Rússia trocam experiências para organizar Copa do Mundo

Divulgação
Inauguração do Castelão
"Muitos diziam que não éramos capazes de construir e entregar com a qualidade internacional desse Castelão. Pois hoje começamos a mostrar que somos capazes e a obra está aí", disse Dilma, no seu discurso.

A presidente aproveitou para parabenizar o Corinthians pelo título mundial, destacando a força do País no futebol. "Nós inauguramos hoje, 16 de dezembro, e fazemos isso num momento especial. Momento de esforço, de sorte e de vitória, quando o Corinthians se sagra campeão mundial interclubes. Esse fato, independente de qualquer outro, mostra que o Brasil é capaz das duas coisas. Ganhar nos campos e construir um estádio dessa categoria", disse ela.

Antes dos discursos no palco que recebeu depois o show do cantor Fagner, a presidente cortou a fita que simbolicamente representa a conclusão da obra no estádio de Fortaleza e destacou que o Brasil entregará também os outros 11 estádios da Copa. "Esse é o momento em que o Brasil fica diante do mundo e diz: vamos cumprir nosso compromisso, e esse compromisso está aqui de pé. Eu estarei em todas as inaugurações das cidades-sedes da Copa", disse ela.

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, participou apenas por meio de vídeo, no qual parabenizava os brasileiros. "É um dia especial para a Fifa, um marco alcançado na preparação para os eventos na terra dos pentacampeões. O povo de Fortaleza é conhecido pela paixão pelo futebol", disse ele.

A primeira partida oficial do Castelão, porém, será apenas em 27 de janeiro, quando acontecerá uma rodada dupla da Copa do Nordeste, com jogos do Ceará e do Fortaleza, contra Bahia e Sport, respectivamente.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Meta é terminar rodoanel norte de SP até dezembro de 2015, diz Alckmin

07/02/2013 - Valor Econômico

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou nesta quinta-feira que pretende entregar as obras do trecho norte do rodoanel de São Paulo, concluindo o anel rodoviário da região metropolitana, até dezembro de 2015.

A contratação das empresas que vão executar o trecho de 47 quilômetros foi assinada hoje e as obras começam em março. "O prazo é de 36 meses, mas queremos adiantar isso", afirmou Alckmin.

O trecho norte do anel rodoviário vai ligar as rodovias Dutra e Fernão Dias e contará ainda com acesso ao aeroporto de Guarulhos. A obra está orçada em R$ 3,9 bilhões e, segundo estimativas do governo do Estado, deve retirar 17 mil caminhões que circulam diariamente pela Marginal Tietê, na capital paulista – diminuindo o tráfego de caminhões pela via em 40%. Estima-se que o trecho norte irá receber 65 mil veículos por dia, quando for inaugurado. "Vamos interligar o aeroporto de Guarulhos, o maior do país, e o maior porto do país, o de Santos, gerando eficiência e diminuindo o custo Brasil", ressaltou Alckmin.

A Construtora OAS Ltda, a Acciona Infraestructuras S/A e os consórcios formados pelas empresas Mendes Júnior/Isolux Corsán e Construcap/Copasa foram os vencedores da licitação internacional para a construção do último trecho do anel viário. O Rodoanel norte é considerado a maior licitação de obra rodoviária em andamento no país.

O ministro dos Transportes, Paulo Passos, que participou da solenidade de assinatura dos contratos, afirmou que a obra tem importância estratégica, já que permite conexão com grandes eixos rodoviários que convergem para a cidade de São Paulo. "O governo federal apoia o projeto e desembolsará R$ 1,720 bilhão, dos quais R$ 960 milhões já foram colocados à disposição", afirmou.

Passos trocou ainda palavras de cortesia com o governador. "Reafirmo o compromisso do governo federal, o compromisso da presidente Dilma Rousseff, de estar ao lado do governo de São Paulo para tirar o projeto do papel", disse, em seu discurso.

Já Alckmin (PSDB) ressaltou que, além do montante que será liberado, haverá parceria para construção de casas para as famílias desapropriadas por meio do programa do governo federal "Minha Casa Minha Vida". "Peço que agradeça a presidente Dilma. O convênio inicial era de R$ 1,2 bilhão e passou para R$ 1,7 bilhão", disse, direcionando-se ao ministro.

Ao todo, 3,4 mil serão desapropriadas pela obra. O trecho corta transversalmente a Serra da Cantareira e terá sete quilômetros de túneis. Para reduzir o impacto da obra que foi alvo de questionamentos ambientais, a estatal Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa) deve plantar 1,6 milhão de árvores. Já o número de empregos gerados no projeto chega a 15 mil.

Com a conclusão do trecho norte, o rodoanel terá 178 quilômetros de extensão, interligando as 10 autoestradas que chegam a São Paulo. Os trechos sul e oeste já estão prontos, enquanto o leste está previsto para março de 2014. O presidente da Dersa, Laurence Casagrande Lourenço, ressaltou que o trecho norte, assim como os demais, será concedido ao fim da construção. "O número de pedágios e o valor ainda não foram definidos", afirmou.


Imagem: Valor
Ferroanel

A execução do trecho norte do ferroanel de São Paulo juntamente com a construção do trecho norte do rodoanel ainda aguarda parceria entre os governos do Estado e federal. O governo federal vai conceder o contorno ferroviário da capital paulista para a iniciativa privada em julho, mas deve contratar o governo de São Paulo para adiantar os licenciamentos ambientais e desapropriações permitindo que a obra ande em paralelo com o rodoanel.

De acordo com o Ministro dos Trasportes, algumas etapas ainda precisam ser vencidas até que os contratos sejam assinados. Já a Dersa, espera a assinatura do contrato e a liberação da verba do governo federal para que possa fazer o licenciamento ambiental do trecho que abrigaria também o ferroanel. "Continuamos conversando com o Ministério dos Transportes e com a Empresa de Planejamento e Logística (EPL), mas isso depende mais deles do que da gente", afirmou Laurence Casagrande Lourenço.

O presidente da Dersa ressalta que o andamento conjunto das obras geraria economia de R$ 1,5 bilhão para a construção do ferroanel, já que haveria aproveitamento de licenças ambientais e menor necessidade de desapropriações.

Fonte: Valor, Por Guilherme Soares Dias

Alckmin autoriza convênio para construção de ponte estaiada em Salto

26/12/2012 - Governo SP

Estrutura sobre o Rio Tietê integra complexo viário de interligação que receberá investimentos de R$ 21,6 milhões

O governador Geraldo Alckmin autorizou nesta quarta-feira, 26, o convênio entre o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), órgão vinculado à Secretaria Estadual de Logística e Transportes (SLT), e a Prefeitura de Salto para execução das obras de construção da ponte estaiada sobre o Rio Tietê.


- Siga o Governo do Estado de São Paulo no Twitter e no Facebook


"Vim autorizar uma grande obra viária e turística para Salto e região, que é a nova Ponte Estaiada, a nova ponte sobre o rio Jundiaí, a interligação entre as duas pontes e a entrada da Ponte Estaiada, com mais uma duplicação de 800 metros. Itu-Salto já foi duplicado, a obra de Itu-Sorocaba também está sendo feita. Em mais 30 dias teremos a entrega do novo trevo de acesso à cidade na SP-079", destacou o governador Geraldo Alckmin.


LEIA TAMBÉM
Parque da Rocha Moutonnée, em Salto, é revitalizado

A nova ponte sairá do trevo da Rodovia Convenção Republicana (SP-079) e dará acesso ao município de Salto, sendo construída próximo à ponte antiga. Além disso, serão executadas obras para duplicação do trecho da rotatória até a ponte, construção de outra ponte sobre o Rio Jundiaí e duplicação da pista de ligação entre as duas pontes, o que formará um complexo viário de interligação. A construção de um elevador panorâmico também está previsto no pacote de obras.

O Governo do Estado investirá R$ 15.837.000,00. O Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias (Dade), órgão ligado à Secretaria de Turismo do Estado, realizou o repasse de R$ 5.745.000,00 para a prefeitura da estância turística. Totalizando investimentos previstos na ordem de R$ 21.582.000,00.

A previsão é de que o edital de licitação para contratação das obras seja publicado em janeiro de 2013. E o início das obras está previsto para maio de 2013, com prazo de execução de 18 meses.

Do Portal do Governo do Estado

Cuiabá estabelece parceria para obras da Copa 2014

23/01/2013 - Só Notícias

A Prefeitura de Cuiabá dará apoio à Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa) na execução dos projetos necessários para a realização do evento. A garantia foi dada pelo prefeito Mauro Mendes (PSB) durante reunião com o secretário extraordinário, Maurício Guimarães, e a equipe técnica da pasta, esta manhã.

No encontro, a Secopa apresentou alguns dos principais projetos que serão executados nos próximos dois anos e solicitou auxílio do prefeito para resolução de pendências que vinham prejudicado o andamento das obras. Inicialmente, Mendes se comprometeu a realizar dez ações prioritárias.

Uma delas diz respeito à transferência dos feirantes do Centro Atacadista do bairro Verdão, localizado no entorno da Arena Pantanal. Conforme a Secopa, a medida é necessária porque no local será construído um estacionamento com aproximadamente 500 vagas, que dará suporte durante a realização dos jogos. A obra é a única do entorno da Arena que ainda não foi licitada.

Antes de transferir os feirantes, no entanto, é necessário viabilizar uma área para instalação dos mesmos. O prefeito prometeu se empenhar para encontrar uma solução que contemple todos os envolvidos. Na lista de ações a serem executadas pelo município, constam ainda a definição do modelo de calçada a ser implantado ao longo do trajeto do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT); a indicação de representantes para compor as Câmaras Temáticas; a liberação da taxa de interdição do trânsito; a aprovação do projeto de implantação da avenida Dr. Hélio Ponce de Arruda, além da aprovação da isenção tributária para a obra do VLT e da Lei Geral da Copa no âmbito municipal.

Mendes também se comprometeu a dialogar com o Ministério Público Estadual com o objetivo de encontrar alternativas para a construção do segundo trecho da avenida Parque do Barbado, que liga a avenida Archimedes Pereira Lima à avenida Juliano Costa Marques. O principal obstáculo para execução da obra é a existência de famílias no local, que precisariam ser transferidas para outra área.

Uma alternativa também será estudada para viabilizar a construção do 10º Batalhão, da Delegacia do Turista e da Delegacia de Marcas e Patentes. A área destinada à construção dos prédios, localizada no bairro Jardim Cuiabá, foi vendida pela prefeitura no ano passado. Neste caso, o município irá verificar as medidas jurídicas possíveis de serem aplicadas, uma vez que o contrato já foi firmado.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Governo da Bahia anuncia obras de mobilidade urbana em Salvador

06/02/2013 - Portal Vermelho

O Diário Oficial do Estado (DOE) publicou, no último sábado (2/2), o edital de licitação para a construção de obras de mobilidade urbana na capital, Salvador

Está previsto um conjunto de ações, que inclui a instalação de um complexo de viadutos no bairro do Imbuí e de vias marginais na Avenida Paralela, uma das mais movimentadas da cidade.

As vias marginais vão ligar o Centro Administrativo da Bahia (CAB) à Avenida Luís Eduardo Magalhães e a Luís Eduardo ao bairro do Imbuí, intervenções que ajudarão a resolver os gargalos do trânsito, no início da Paralela. Os viadutos facilitarão a ligação entre a Paralela e os bairros do Imbuí, Boca do Rio, Stiep e a Orla.

As empresas interessadas na concorrência pública terão 30 dias para entregar proposta à Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), vinculada à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano (Sedur). O resultado será anunciado, também, num prazo de 30 dias, a partir da avaliação das referidas propostas.

Com investimento de R$ 71 milhões, as obras deverão ser executadas em dez meses, dada a ordem de serviço, de acordo com o Governo. Está previsto também para este mês lançamento do edital para a implantação do viaduto de Narandiba, que pretende solucionar os problemas no acesso do início da Paralela para os bairros de Narandiba, Tancredo Neves, Cabula e Saboeiro.

As obras deverão ser executadas em dez meses

Municípios paulistas investem em mobilidade urbana

06/02/2013 - Agência CNM

Com o trafego cada dia mais movimentado e com a frota de carros em crescimento, sete Municípios paulistas vão investir na sincronização de semáforos

O Consórcio Intermunicipal Grande ABC vai contratar um projeto de sincronização para aproximadamente 150 pontos críticos de tráfego em sete Municípios da região.

O investimento estimado é de R$ 500 mil. O anúncio foi feito nesta segunda-feira, 4 de janeiro, após a Assembléia mensal dos prefeitos, realizada na sede da entidade, e que teve a Mobilidade Urbana como tema principal.

De acordo com o consorcio serão priorizados os principais problema de trafego do ABC. O escopo da proposta prevê o planejamento, avaliação e implementação de intervenções nos cruzamentos, incluindo elaboração e implantação da programação semafórica com software específico, além de pesquisas de velocidade e retardamento, em horário de pico manhã e tarde, entre-pico, em rotas pré-definidas.

No dia 14 de fevereiro, os secretários de Transportes de cada Município devem ser reunir para fechar os últimos detalhes da proposta regional, já com os pontos revisados pelas novas equipes de trânsito das atuais administrações.

Outro ponto decidido durante a reunião de prefeitos foi a continuidade da Campanha Travessia Segura, que deve iniciar uma nova etapa de forma mais incisiva na abordagem junto a motoristas e pedestres. A promessa do Consórcio é incrementar e campanha e ampliar a visibilidade das ações. O Consórcio credita à campanha a queda de 16,5% no número de acidentes de trânsito com mortes e lesões no ABC - de acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública.

Ciclofaixas
A implantação de um Plano Cicloviário Regional, com ampliação de ciclofaixas de lazer no ABC e definição de rotas para ciclistas nos sete Municípios, também estará na pauta da Reunião Extraordinária dos prefeitos, no dia 18.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Orla Ferroviária, ciclovia e mais 48 obras serão entregues por prefeito de Campo Grande

18/12/2012 - Correio do Estado, Daniella Arruda

O pacote de fim de mandato do prefeito Nelsinho Trad (PMDB) terá ao todo 50 obras

O pacote de fim de mandato do prefeito Nelsinho Trad (PMDB) terá ao todo 50 obras, figurando como as de maior porte a Orla Ferroviária, a ciclovia da Avenida Afonso Pena e a Casa de Ensaio. Os três empreendimentos somam investimentos de R$ 4,7 milhões e serão entregues à população respectivamente nos dias 22, 23 e 28 deste mês.

Também foram incluídas no calendário duas importantes obras de controle de enchentes, o manejo de águas pluviais no Bairro Parque dos Laranjais e a drenagem, instalação de câmaras de desaceleração das águas e barragens de assoreamento na Rua Marquês de Herval, no Bairro Nova Lima.

A primeira consumiu R$ 1,9 milhõés em investimentos, quase 10 meses de trabalho e deveria ser entregue oficialmente ontem à comunidade. O outro empreendimento, que recebeu R$ 5,9 milhões em recursos do Ministério da Integração Nacional, deve ser concluído até o fim do mês, conforme o prefeito.

Manaus tem R$ 269 MI para mobilidade

21/01/2013 - AM247

Os investimentos nas áreas de infraestrutura viária e mobilidade urbana na capital totalizam R$ 269 milhões

A capital amazonense pretende investir em mobilidade urbana (Foto: Reprodução)
Os custos dos Anéis Viários das Zonas Leste e Sul de Manaus serão de R$ 172 milhões e R$ 92 milhões, respectivamente. Além deste aporte, outros R$ 104 milhões serão investidos nas ruas do Distrito Industrial e na recuperação de calçadas da capital amazonense. Os investimentos na área de infraestrutura viária totalizam R$ 269 milhões.

O anel leste terá 13,10 quilômetros de extensão e sul, 8,3 km. Nesta quarta-feira (16), a Secretaria Estadual de Infraestrutura do Amazonas (Seinfra) realizou uma audiência pública para apresentar alguns detalhes do projeto e da primeira fase da implantação, pavimentação e drenagem da via que ligará a Reserva Adolpho Dique e a rotatória do Distrito Industrial II além dos anéis viários.

Outro projeto que também está nos planos do governo amazonense para melhorar a mobilidade urbana em Manaus é a duplicação da Estrada do Tarumã, que passará em frente ao Aeroporto Internacional Eduardo Gomes. O investimento será de R$ 97,5 milhões.

O Governo Estadual, em parceria com o Federal, anunciou em outubro do ano passado a construção de sete aeroportos, sob um custo variando entre R$ 22 milhões e R$ 25 milhões cada, além da reforma de outros 18 no Amazonas por conta das dificuldades de locomoção no Estado. Vale ressaltar que dos 61 municípios do interior amazonense, 54 contam com aeroporto.

Fonte: AM247

Obras fora da lista da Copa poderão ter crédito oficial

31/01/2013 - Agência Brasil

As obras de mobilidade urbana que vierem a ser retiradas da Matriz de Responsabilidade, lista que reúne empreendimentos prioritários para a Copa do Mundo de 2014, poderão continuar a ter acesso às linhas oficiais de crédito, autorizou hoje (31) o Conselho Monetário Nacional (CMN). De acordo com a equipe econômica, a decisão permitirá a continuidade dos empreendimentos, mesmo que eles sejam removidos da lista.

"Algumas obras podem vir a ser excluídas da Matriz [de Responsabilidade], mas são consideradas importantes para a mobilidade urbana e serão mantidas dentro do descontingenciamento de crédito para o setor público", justificou o secretário executivo adjunto do Ministério da Fazenda, Dyogo Oliveira.

Com a medida, as prefeituras e os governos estaduais responsáveis pelas obras poderão continuar a ter acesso à linha de crédito de R$ 8 bilhões com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) que financiam os empreendimentos. Em tese, os estados e municípios também poderão contratar outros empréstimos, internos e externos, para as obras.

O secretário não quis especificar que projetos estão passíveis de serem retirados da Matriz de Responsabilidade. Ele informou apenas que os empreendimentos cuja permanência na lista está em discussão somam R$ 500 milhões e dizem respeito a obras de metrô, corredores de ônibus expresso e complexos rodoviários. "Como os projetos ainda não foram excluídos, estaria levantando uma suspeita ou uma ilação sobre uma coisa que não é concreta", disse.

Oliveira esclareceu que a decisão beneficia apenas os projetos que ainda estão na Matriz de Responsabilidade. Obras como o veículo leve sobre trilho (VLT) de Brasília, que já foram excluídas da lista, não poderão voltar a ter acesso às linhas de crédito.

O CMN também simplificou a contratação de empréstimos do Programa de Sustentação do Investimento (PSI). Agora, os bancos que operam as linhas de crédito do PSI poderão emprestar com recursos próprios e pedir que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) faça o ressarcimento posteriormente. Segundo Oliveira, o procedimento traz mais agilidade na concessão de financiamentos.

"Antes, os bancos tinham que esperar o BNDES definir os limites para poderem emprestar. Agora, eles podem começar a emprestar com recursos próprios antes de os limites serem repassados. Na prática, isso queima uma etapa do processo", explicou o secretário executivo adjunto da Fazenda.

Criado em 2009, o PSI engloba uma série de linhas de crédito com recursos do BNDES para a compra de máquinas e equipamentos, exportação e investimentos em inovação e tecnologia. Para este ano, o PSI tem orçamento de R$ 100 bilhões.

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Dos 100 melhores municípios para se viver no Brasil, 73 ficam em São Paulo

05/12/2012 - Governo SP

Estado apresenta ainda os dez melhores índices do País; Indaiatuba é considerado o melhor município para se viver no Brasil

De acordo com o índice de desenvolvimento municipal (IFDM) divulgado recentemente pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) dos 100 melhores municípios para se viver no Brasil, 73 ficam no Estado de São Paulo.

Com base em dados referentes ao ano de 2010, o estudo mede o desenvolvimento dos municípios de acordo com as quantidades de matrícula infantil, consultas pré-natal, mortalidade infantil e emprego formal.

O número de municípios paulista saltou de 18 para 173 com bons indicadores em geração de emprego e renda, saúde e educação na última década.

Ranking 10 melhores em 2010

No Estado de São Paulo estão os dez melhores índices do país. O município de Indaiatuba (0,9486), na região de Campinas, ficou em primeiro lugar e foi considerada a cidade mais desenvolvida do Brasil. Em segundo e terceiro lugar estão São José do Rio Preto (0,9357) e Itatiba (0,9276), respectivamente.

1º Indaiatuba - 0,9486
2º São José do Rio Preto - 0,9357
3º Itatiba (0,9276)
4º Amparo (0,9259)
5º Barueri (0,9258)
6º Ribeirão Preto (0,9230)
7º Marília (0,9195)
8º Louveira (0,9194)
9º Jundiaí (0,9171)
10º Paulínia (0,9159)

Educação

Ainda de acordo com o ranking, o Estado de São Paulo manteve a liderança de anos anteriores e foi o que mais se destacou no quesito Educação. O investimento durante o ano de 2010 por parte do Governo foi de R$ 24,3 milhões.


Dos 100 melhores resultados de 2010, 98 são municípios paulistas, sendo nove com nota máxima (1 ponto): Marapoama, Meridiano, Taguaí, Fernão, Santa Salete, Turmalina, Rubineia, Dolcinópolis, Oscar Bressane. Entre os 500 melhores, 486 são paulistas.


Saúde

Quando o quesito foi Saúde, o Estado também teve um bom desempenho. Dos 500 melhores índices, 84 são de municípios paulista. O orçamento do Governo do Estado para a Saúde em 2010 foi de R$ 13 milhões.

Do Portal do Governo do Estado

Campinas (SP) adia votação sobre rodízio de veículos

12/12/2012 - Portal Transporta Brasil, Silas Colombo

Cidade do interior paulista busca seguir o exemplo da capital para reduzir em até 30% o fluxo diário de veículos

A Câmara dos Vereadores de Campinas (a 93 km de São Paulo) decidiu adiar a votação de um projeto de lei que autorizaria a prefeitura a implantar o sistema de rodízio de veículos no centro da cidade.

A proposta não tem apoio da gestão atual nem do prefeito que assume em 2013, Jonas Donizete. Ainda não há data para a nova votação.

No Brasil, apenas a cidade de São Paulo pratica o sistema de restrição à circulação em dias específicos da semana de acordo com a numeração final da placa dos veículos, diz o Departamento Nacional de Trânsito.

O vereador Sebastião dos Santos (PMDB), autor do projeto em 2008, diz que o rodízio reduziria em até 30% o fluxo diário, que atualmente é de 819 mil veículos.

Segundo a Emdec (empresa municipal de trânsito), a média de congestionamento não atinge 10 quilômetros por dia na cidade.

Rodoviária de Curitiba passa por novas mudanças

30/01/2013 -

A prefeitura de Curitiba anunciou novas mudanças no funcionamento da rodoviária em decorrência das obras, carros particulares não tem mais acesso aos estacionamentos públicos e, de quarta-feira em diante, os guichês de venda de passagens das linhas interestaduais mudam de lugar: ficarão também na ala estadual – eles foram construídos onde antes havia estacionamentos públicos.

Daniel Castellano/Gazeta do Povo

As pessoas que quiserem acessar a rodoviária de carro tem de deixar o veículo nos estacionamentos privados do entorno ou nos dois estacionamentos particulares que existem na própria rodoviária: um está localizado em frente ao terminal e outro atrás dele (a permanência de 30 minutos custa R$ 3 e a de uma hora fica por R$ 4).

Qualquer acesso à rodoviária (a pé ou de táxi), a partir de quarta (30), terá de ser feito pela ala estadual, pois a interestadual ficará interditada. Os desembarques (das linhas estaduais e interestaduais) passam a ser feitos apenas nas plataformas interestaduais, em um espaço que ganhou nova cobertura. Para chegar a ala estadual e ir embora, os passageiros terão acesso a uma passarela interna que ficará liberada.

Os embarques serão feitos normalmente, só que o acesso será apenas pela ala estadual. Apenas os embarques da Viação Catarinense passam para a ala estadual (antes eram feitos na ala interestadual). Faixas e painéis devem orientar os usuários.

Informações: Gazeta do Povo

Número de inaugurações deve dobrar

01/02/2013 - Jornal do Commercio

O Brasil deve ver abertura neste ano de praticamente o dobro do número de shopping centers inaugurados em 2012, sendo a maior concentração na Região Sudeste, mas com as cidades menores ganhando cada vez mais participação no setor.

Ao longo de 2013 devem ser inaugurados pelo menos 46 empreendimentos no País, após 27 novos shoppings entrarem em operação no ano passado - maior número dos últimos 13 anos - segundo estimativa apresentada nesta quinta-feira pela Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce).

"Esse número pode aumentar para 48, 49 shoppings neste ano", disse o presidente da Abrasce, Luiz Fernando Veiga. "Desse to¬tal, 16 cidades do País terão o primeiro shopping em 2013". Para 2014, a previsão é de abertura de cerca de 23 novos shoppings.

A Região Sudeste, que hoje abriga 55% dos 457 shoppings em operação no País, deve seguir respondendo pela maior parcela dos projetos, segundo a Abrasce. Entretanto, Veiga assinalou que os empreendimentos tendem a se instalar em cidades menores, fora das capitais, em meio à falta de terrenos para construção em grandes centros e ao elevado número de shoppings já existentes nessas regiões

A tendência é ter shoppings menores, em cidades menores. Nos grandes centros, apesar da dificuldade de terrenos, ainda há espaço nos bairros", afirmou ele.

O setor de shoppings vem acompanhando o movimento já visto no segmento de supermercados, cujas principais redes passaram a priorizar a abertura de lojas de pequenos formatos, os chamados supermercados de proximidade. "Cada vez mais os shoppings devem estar próximos às residências", disse Veiga.

Ainda sobre a tendência de ingressar em áreas pouco exploradas, o presidente da Abrasce destacou o desempenho da Região Norte, "que tem sido muito maior que no resto do País". Hoje, o Norte tem 18 shoppings em operação.

Além da escassez de mão de obra quali-ficada, a demora para aprovação de proje¬tos tem sido apontada pelo setor como o principal entrave para cumprir prazos. "A burocracia é o grande problema, princi¬palmente em São Paulo, onde são necessá¬rias mais de 30 aprovações para se abrir um shopping", disse. "Uma das maiores preocupações da Abrasce é que essa buro¬cracia seja reduzida para os prazos serem cumpridos", acrescentou Veiga.

Um dos principais problemas pertinentes ao setor imobiliário, o atraso de obras vem afetando também o setor de shoppin¬gs. "É um problema sério, que prejudica a programação traçada pelas redes", afirmou Veiga. A Lojas Renner, por exemplo, atribuiu o não cumprimento da meta de inaugurações de lojas em 2012 ao atraso na abertura de shoppings previstos.

Além da escassez de mão de obra qualificada, a demora para aprovação de projetos tem sido apontada pelo setor como o principal entrave para cumprir prazos. "A burocracia é o grande problema, principalmente em São Paulo, onde são necessárias mais de 30 aprovações para se abrir um shopping", disse. "Uma das maiores preocupações da Abrasce é que essa burocracia seja reduzida para os prazos serem cumpridos", acrescentou Veiga.

Macaé ganha projeto imobiliário milionário

31/01/2013 - Jornal do Commercio, Fábio Teixeira

Construtora já vendeu 700 das 1828 unidades habitacionais do empreendimento em menos de dois meses. Valor Geral de Vendas (VGV) é de R$ 385 milhões

Antes mesmo de completar dois meses do início das vendas, um dos principais projetos imobiliários de Macaé, na Região Norte Fluminense, já tem mais de um terço das unidades comercializadas. De acordo com o diretor presidente da Calper, Ricardo Ranauro, 700 das 1.828 unidades do Nexus Hotel e Residences já foram negociadas. O Valor Geral de Vendas (VGV) total do empreendimento é de cerca de R$ 385 milhões. "Ao longo do ano esperamos vender o restante das unidades. Talvez nos próximos seis meses", disse o executivo.
O projeto de quatro torres alinhadas formando um "x", com um hotel no centro, ficará próximo ao Parque de Tubos, local onde está situada a central da Petrobras no município do norte fluminense. Os dois primeiros edifícios e empreendimento hoteleiro, com 336 quartos, ficarão prontos em novembro de 2016, informa Ranauro.
De acordo com o executivo, a empresa previa inicialmente apenas uma torre e o hotel, mas a velocidade das vendas motivou a ampliação do projeto. Dois edifícios terão298 unidades habitacionais (UHs), enquanto os outras dois terão 448 UHs. O condomínio terá ainda um centro de convenções, sala de eventos, áreas de lazer e para construção de 27 lojas de conveniência. De acordo com Ranauro, o trabalho tem sido intenso para coordenar as obras com a chegada da infraestrutura ao local. A cidade tem crescido em ritmo explosivo desde a descoberta de petróleo na camada do pré-sal. No local estão empresas como BP, Shell, Repsol e Texaco, além da Petrobras.
Por duas décadas o urbanismo da cidade foi uma colcha de retalhos", afirma o executivo. Ranauro explica, por exemplo, que será necessária a construção de uma subestação para levar energia ao local. Como o transporte público ainda não passa pela região, o condomínio também terá um esquema com ônibus particulares. "Temos que trabalhar de mãos dadas com o governo municipal para que tudo chegue ao mesmo tempo ao local", diz, acrescentando que o custo da subestação está previsto no valor do investimento.
Valorização
Para Ranauro, o mercado imobiliário na região está se modificando. Antes do boom causado pela indústria de petróleo, as empresas focavam atender apenas aos trabalhadores do setor petrolífero que atuavam em campos maduros. Com a descoberta do pré-sal, o horizonte para investimentos se ampliou.
"O mercado está se planejando para os próximos 100 anos", diz o executivo. Sua previsão é de que o metro quadrado de Macaé - hoje em torno de R$ 5,5 mil - continue subindo nas próximas três décadas.