quarta-feira, 5 de junho de 2013

Das sete obras de mobilidade em Natal, uma está em fase de conclusão

05/06/2013 - Portal 2014

Na contra-mão das obras da Arena das Dunas, cidade-sede terá que correr para entregar os trabalhos

Projetos de mobilidade urbana em Natal estão atrasados (crédito: Divulgação)
ampliar

George Fernandes - Natal 

Na contra-mão das obras da Arena das Dunas, Natal terá que correr para finalizar os trabalhos de mobilidade urbana. Dos sete projetos do setor previstos para a Copa 2014, apenas uma está em fase de conclusão. Outras seis ainda não saíram do papel. Destas, três foram excluídas da Matriz de Responsabilidades e passaram para o PAC da Mobilidade.

As obras estão divididas entre o governo do estado e prefeitura de Natal. Os recursos são todos do governo federal, chegando a um investimento de R$ 1 bilhão, no total.A primeira obra de mobilidade urbana inscrita na matriz de responsabilidade da Copa, assinada em 2010 entre as três esferas do governo (municipal, estadual e federal), e concluída é a do prolongamento da Avenida Prudente de Morais, uma das principais vias de Natal. 

Os cinco km criados liga a avenida à BR-101, na altura do Aeroporto Internacional Augusto Severo. “Esta via dará mais uma opção para quem entra na cidade ou para quem vai ao Aeroporto”, explicou Demétrio Torres, diretor do DER/RN e secretário da Copa pelo governo do RN.

A obra vem se arrastando desde 2007 e só ganhou fôlego quando entrou no PAC da Copa. Foi necessário um investimento de R$ 60 milhões para concluir a obra, que deve ser entregue até o final deste mês de junho. E para interligar o prolongamento da Avenida Prudente de Morais ao Aeroporto de Parnamirim, o DER em parceria com o Denit já projeta um complexo viário no entroncamento com a BR-101. Mas, segundo Demétrio, ainda sem prazo para começar.

Outra obra de responsabilidade do governo do RN e inscrita no PAC da Copa são os acessos ao novo aeroporto, que está sendo construído em São Gonçalo do Amarante, na Zona Norte de Natal, no outro extremo do Aeroporto de Parnamirim – o Augusto Severo. Orçada em R$ 76 milhões, os dois acessos (eixo Norte e Sul) têm seus prazos de entrega previstos para maio de 2014, um mês antes da Copa, quando deve ser entregue também o novo aeroporto.

“O nosso compromisso é com o PAC da Copa e pretendemos atuar na obra em quatro frentes – nas BRs 364, 406, Ramal Norte e Ramal Sul”, afirmou Demétrio Torres. “Quando o aeroporto entrar em operação certamente ele estará servido de acessos”. A Queiroz Galvão venceu a licitação e deve iniciar as obras até o final deste mês de junho. 

O projeto teve um custo inicial de R$ 15 milhões, com um único acesso pela Zona Norte. Mas, como foi necessário investir em um novo acesso pelo ramal Sul, o governo federal concordou em injetar mais R$ 61 milhões, elevando o custo da obra para os R$ 76 milhões atuais.  

Reformulação
Evitar desapropriações de 400 imóveis e garantir a conclusão da obra antes do início da Copa de 2014. Estas foram as justificativas da atual gestão municipal de Natal para reformular os projetos de mobilidade urbana previstos para a capital potiguar, de responsabilidade da prefeitura e inscritos na Matriz de Responsabilidade, assinado em janeiro de 2010. 

As obras do Lote 1, que liga zona norte de Natal à Arena das Dunas, passando pela Zona Oeste da cidade, foi a que sofreu mudança mais significativa. Até dezembro do ano passado, o projeto desta obra envolvia a desapropriação de 400 imóveis, dos quais 14 chegaram a ser notificados. A nova gestão, porém, entendeu que diante do grande impacto financeiro-social com as desapropriações e grandiosidade da obra não daria tempo concluí-la até a Copa.

Resultado: a obra, que já havia sido licitada e vencida pela EIT, foi alterada. “Não havia a possibilidade de concluirmos essa obra antes da Copa, com tantas desapropriações. A solução foi promover um novo estudo e elaborar um novo projeto, que evitou as desapropriações, reduzindo o impacto social”, disse Carlos Alexandre, secretário adjunto de Planejamento e coordenador da Copa pela Prefeitura de Natal.


Obras de responsabilidade do governo estadual, incluídas no PAC da Mobilidade (sem a obrigatoriedade de ficarem prontas até a Copa do Mundo de 2014):


PRÓ-TRANSPORTE
14 km
R$ 89 milhões (recursos do governo federal)
Edital publicada em 15 de maio (quatro empresas concorreram)
Até meados de junho o governo do RN define o vencedor da Licitação
Obra começa em agosto, segundo Kátia Pinto, secretária de Infraestrutura
Prazo: 24 meses (previsão de término: agosto/2015)
PAC da Mobilidade


ESTRADA DE PONTA NEGRA (AVENIDA ENGENHEIRO ROBERTO FREIRE) – RN-063
4 km
R$ 200 milhões (recursos do governo federal – valor sigiloso)
Licitação em andamento (abertura dos envelopes em 21 de junho)
Haverá audiência pública (licença ambiental provisória)
Obra começa em setembro, segundo Kátia Pinto, secretária de Infraestrutura
Já existe planejamento de desvio de tráfego 
Prazo: 24 meses (previsão de término: setembro/2015)
PAC da Mobilidade



VIA NORTE-SUL (ENTRONCAMENTO BR-226/AVENIDA CAPITÃO MOR-GOUVEIA – ROTA DO SOL
12 km
R$ 200 milhões (recursos do governo federal – valor sigiloso)
Edital ainda sem data definida para ser lançado
Obra com previsão para começar em dezembro/2013
Prazo: 24 meses (previsão de término: dezembro/2015)
PAC da Mobilidade


Total de km: 30,80 
Investimento: R$ 490 milhões