domingo, 4 de julho de 2010

Movimento cobra explicações sobre atraso na obra do Centro Cultural Oscar Niemeyer


23 de Junho de 2010 | Por: Carolina Rofre - DM Online
  • Tamanho do texto
  • A-
  • A+
Representantes do “Rock pelo Niemeyer”, movimento em prol da abertura do Centro Cultural Oscar Niemeyer, enviaram ontem ofício ao governador Alcides Rodrigues, à Agencia Goiana de Cultura Pedro Ludovico Teixeira (Agepel), à Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop) e à Secretária da Fazenda do Estado (Sefaz) em que solicitam informações a respeito da abertura definitiva do espaço e reivindicam posicionamentos dos citados órgãos em relação ao centro cultural.

Um acordo firmado em 23 de março deste ano entre representantes do movimento e o então secretário da Fazenda Jorcelino Braga, previa que o espaço, o maior reservado à cultura em Goiás, estaria totalmente pronto para ser reaberto até o dia 25 de julho, prazo em que seriam concluídas as obras pendentes. Faltam apenas 31 dias para o fim desse prazo e o edital de licitação da obra ainda nem foi publicado.

Diante disso e levando em consideração a necessidade de utilização do espaço para as atividades culturais a serem realizados no próximo semestre, o movimento “Rock pelo Niemeyer”, reivindica, no documento enviado ao governador: a abertura imediata da pauta da cultura goiana do segundo semestre de 2010 para os espaços que estavam em funcionamento antes do fechamento do Centro Cultural Oscar Niemeyer, sendo eles: Palacio da Música Belkiss Spenziere, sala Lygia Rassi, Museu de Arte Contemporânea, Esplanada Cultural Juscelino Kubitschek; a nomeação de um gestor responsável pelo centro cultural e a abertura imediata da licitação para finalizar a obra do espaço.

“O calendário do 2º semestre é intenso e o Oscar Niemeyer é fundamental para que tudo corra bem e de forma que toda a sociedade possa ser beneficiada. Por isso nossa apreensão sobre a conclusão e abertura definitiva do espaço”, justifica Fabrício Nobre, presidente da Associação Brasileira dos Festivais Independentes do Brasil (Abrafin). Ele assina o documento pela entidade e em nome dos seguintes grupos, ligados à cultura no estado: Central Única das Favelas em Goiás (Cufa-GO), Coletivo Pequi – Anápolis, Fora do Eixo Goiás, Instituto Global Comunitário – Inhumas (IGC), Fósforo Cultural e Monstro Discos.

A assessoria de imprensa da Agetop informou à reportagem do Diário da Manhã que o edital de licitação da obra será publicado ainda esta semana. Respondendo pela Agepel, da qual Linda Monteiro é presidente, o chefe de gabinete e jornalista Neriton Ribeiro afirma que órgão não tem nenhuma responsabilidade no atraso das obras do centro cultural, já que caberá à Agepel administrar o espaço somente depois que a Agetop concluir as obras. Assessora de imprensa da Sefaz, que, atualmente, está sob o comando de Célio Silveira, Cecília Aires não soube dar mais detalhes sobre o atraso das obras, disse apenas que à Sefaz cabe a liberação da verba. A Agetop disse, por meio de sua assessoria, que o atraso se deve à burocracia que envolve a publicação de um edital de licitação pública. Teria cooperado para o atraso uma recomendação da assessoria jurídica da Agetop para alterar o edital mesmo depois de pronto.

Em matéria publicada em março deste ano, quando ainda era secretário da Fazenda, Jorcelino Braga disse que a obra do Centro Cultural Oscar Niemeyer estaria concluída até 12 de julho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário