quinta-feira, 13 de outubro de 2011

BNDES libera R$ 647 milhões para 6 novos shoppings

12/10/2011 - O Estado de São Paulo

Empreendimentos serão construídos nas cidades de Jundiaí, Ribeirão Preto, Barueri, Rio de Janeiro e Manaus

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) informou, por meio de um comunicado, que aprovou um financiamento de R$ 647,7 milhões para seis novos shoppings centers nos estados de São Paulo, do Rio de Janeiro e do Amazonas. Segundo o banco, os empreendimentos serão erguidos nas cidades de Ribeirão Preto, Jundiaí, Barueri; na capital fluminense; e em Manaus.

O Interior do Estado de São Paulo deverá ficar com R$ 141,4 milhões para a construção do shopping Center Iguatemi Ribeirão Preto. Os recursos serão alocados à SCIRP Participações Ltda., Sociedade de Propósito Específico (SPE) criada pela Iguatemi Empresa de Shopping Centers S.A. (IESC) para a operação. Também no interior de São Paulo, a construção do Jundiaí Shopping será financiada com R$ 124,1 milhões. O beneficiário é a Multiplan Empreendimentos Imobiliários, empresa responsável pelas obras e que pertence ao Grupo Econômico Multiplan, operador de shopping centers no País.

Ainda no interior paulista, o Parque Shopping Barueri receberá do BNDES R$ 30,8 milhões. O beneficiário é a Send Empreendimentos e Participações Ltda, que possui 13 shopping centers em operação e cinco em implantação. No Rio de Janeiro, o ParkShopping Campo Grande, a ser construído no bairro de Campo Grand, na zona oeste, receberá R$ 99,8 milhões. O responsável pelo projeto também é o grupo econômico Multiplan. Ainda na Zona Oeste, o bairro de Jacarepaguá contará ainda com o Shopping Metropolitano, cuja construção será financiada pelo BNDES com R$ 144 milhões.

No Amazonas, o shopping Ponta Negra será construído próximo às margens do Rio Negro, na cidade de Manaus, e receberá financiamento de R$ 107,6 milhões. O responsável pelo projeto é a JHSF Manaus Empreendimentos e Incorporações S.A.

Recorde

O BNDES deve bater recorde, referente ao ano passado, de desembolsos para o setor de shoppings e de condomínios lojistas este ano. A informação partiu da chefe do Departamento de Bens de Consumo, Comércio e Serviços do banco, Ana Cristina da Costa.  Segundo ela, as liberações do banco para o segmento atingiram em torno de R$ 360 milhões em 2010. De janeiro a julho deste ano, os desembolsos alcançaram R$ 249 milhões. "Tudo indica que provavelmente vamos bater o recorde do ano passado este ano", afirmou.

A chefe de departamento lembrou que, em março de 2009, houve uma mudança nas regras do banco para financiamentos no setor de shoppings e condomínios lojistas. Antes desta data, o banco concentrava liberação de recursos paara estes segmentos somente em áreas menos abastadas, com maior potencial de desenvolvimento urbano, como na região Norte, por exemplo. Assim, na prática, o empreendimento poderia ajudar ao aprimoramento da economia nas localidades. Mas agora esta restrição não existe mais. "Antes desta mudança, os desembolsos na área giraram em torno de R$ 100 milhões", afirmou a especialista.

Ana Cristina comentou que, além de aprovações de financiamentos para seis novos shoppings centers, anunciadas pelo banco hoje, o BNDES tem atualmente em análise mais quatro operações de consulta de financiamento com perfil similar às divulgadas hoje, à espera de possível enquadramento. Pelo menos uma pode ter desembolso aprovado ainda este ano, de acordo com ela.

Na avaliação de Ana Cristina, o aumento de interesse por empreendimentos como shoppings centers está ligado ao contínuo aquecimento da demanda no mercado interno, nos últimos dois anos. Ela lembrou ainda que, neste período, ocorreram também ascensões sociais nas faixas de renda C e D, que aumentaram seu potencial de consumo - impulsionado por bons desempenhos do mercado de trabalho, e aumento da renda.

Isso, na prática, ajudou a incrementar a participação das liberações do banco voltadas para o setor de comércio e de serviços. Nos desembolsos totais do BNDES, a participação do setor de comércio e serviços atingia  12% em 2009; saltando para 16% em 2010. No último boletim de desempenho do banco, de julho de 2011, este setor já atingia fatia de 18%.

Para a chefe de Departamento, o aumento do interesse das empresas por empreendimentos por shoppings e condomínios lojistas deve continuar em 2013, mesmo com perspectiva de crescimento mais fraco da economia para o ano que vem. "Não estamos prevendo nenhuma mudança drástica nesta trajetória", afirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário