quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Florianópolis: governo apresenta propostas para quarta ligação Ilha-Continente na segunda-feira

28/07/2012 - ND Online

Ao todo, 12 propostas do modelo da estrutura da travessia Ilha-Continente foram apresentadas. Entre eles, túnel, ponte e trem de superfície

Daniel Queiroz/ND

Técnicos fazem sondagem na região onde ficará a ligação
 
O governador Raimundo Colombo (PSD) anuncia na segunda-feira o resultado da primeira etapa para escolha do modelo da quarta ligação Ilha-Continente. Ao todo, 12 propostas de empresas brasileiras e do exterior foram entregues. Entre os projetos há ponte, túnel, teleférico e um trem de superfície. A partir de agora, uma comissão multidisciplinar terá 30 dias para avaliar as ideias.

Segundo Colombo, 50 empresas manifestaram o interesse no começo do processo, três delas chegaram a realizar sondagens no fundo do mar, cerca de 500 metros ao lado da ponte Hercílio Luz, em direção à Beira-mar Norte. Apenas 24% das candidatas que procuraram o governo entregaram os projetos dentro do prazo.

Para o presidente do Deinfra (Departamento Estadual de Infraestrutura), Paulo Meller, o resultado foi satisfatório. “Ficou dentro do que esperávamos. Nas licitações do Deinfra, 150 pessoas retiram o edital, mas apenas dez participam”, argumentou.

Meller destacou ainda que entre as candidatas estão grandes empresas do setor. “Recebemos propostas de todas as empresas de renome do Brasil. Vamos analisar a vasta documentação apresentada”, explicou.

A decisão sobre qual modelo será adotado na travessia não deve ocorrer até dezembro do ano que vem. Até o resultado, as concorrentes precisam fazer estudos para comprovar a viabilidade das alternativas entregues. A autorização para a sequência dos projetos será dada no dia 22 de setembro.

Construção será por PPP ou concessão

O governo tem duas possibilidades para a construção do acesso entre a Ilha e a BR-101. A primeira opção é o modelo de PPP (Parceria Público-Privada), na qual o Estado divide as despesas da obra com o setor privado. A segunda é por meio de concessão. A candidata fica responsável pela execução do projeto e o poder público não tem custos. Nos dois casos, os usuários terão que pagar pedágio e o que pode variar é o preço da tarifa.

No lançamento do projeto, Paulo Cesar da Costa, secretário de Assuntos Estratégicos e presidente da SCPar, informou que existem apenas 21 acordos de PPP em andamento no Brasil. Em Santa Catarina, não há nenhuma estabelecida. “É um modelo difícil, mas plenamente possível de se realizar. Depois que ocorrer a primeira, a coisa avança. A PPP é uma ferramenta importante para estados com recursos insuficientes para a realização de obras”, argumentou.

CRONOGRAMA
Passo a passo até a definição

Segunda fase

- Trinta dias para a comissão multissetorial, formada por integrantes da SEI (Secretaria de Estado da Infraestrutura), Deinfra (Departamento Estadual de Infraestrutura) e SC Parcerias, analisar o conteúdo recebido.

- Quinze dias para a comissão confeccionar um termo de referência para a segunda fase da PMI. O documento vai orientar os interessados nas próximas etapas da PMI.

- Quinze dias para análise e aprovação do termo de referência pelo conselho gestor da PPP (Parceria Público-Privada)

Terceira fase

- 22 de setembro: governo lançará a PMI 2, que autoriza os melhores proponentes a dar sequência na elaboração dos projetos.

- 120 dias é o prazo para os classificados realizarem o Evtea (Estudo de Viabilidade Técnica e Ambiental)

- 20 de janeiro de 2013: entrega das propostas de PMI 2

- Durante 75 dias a comissão vai analisar as propostas finalistas.

- 5 de abril de 2013: previsão de divulgação do modelo escolhido para a quarta ligação

- 120 dias para elaboração do projeto e estudos jurídicos, econômico e financeiro

- Mais 75 dias para a formatação do edital de PPP ou concessão

- 16 de dezembro de 2013: lançamento do edital de PPP ou concessão 

Um comentário:

  1. Moro numa região do lado continental de Fpolis onde estão fazendo prospecção de solo, coleta de amostras, extremamente perto do prédio onde moramos. Em conversas com os pessoal que faz o serviço dizem que é para um viaduto. Onde podemos ver tais projeções para que possamos nos programar caso o prédio esteja no rota de construção do tal viaduto e obras de acesso? Não podemos investir em reformas nos apartamentos e no prédio temendo gastos que serão depois perdidos numa eventual demolição, tempo e dinheiro perdidos. Se tivermos alguma ideia de tal trajeto de obra poderemos já ir procurando alternativas de mudança. Tem onde possamos ler a respeito? Att.

    ResponderExcluir