sábado, 20 de outubro de 2012

Obra da Alça de Contorno de Florianópolis começa em sete meses

19/10/2012 - ND Online, Paulo Jorge Pereira Cassapo Dias Marques

Projeto do contorno viário de Florianópolis já foi alterado e ainda não saiu do papel.

Esse é o prazo estipulado pelo Ibama para liberar as licenças ambientais para início da construção

O tão esperado início das obras do Contorno Viário da Grande Florianópolis parece já ter prazo definido. Mesmo não estabelecendo datas, a Autopista Litoral Sul afirma que inicia as obras após a liberação da licença do Ibama. O orgão ambiental cumpriu a primeira parte para a apresentação do material em audiência pública e tem até maio de 2013 para liberar a licença ambiental. O trecho avaliado pelo Ibama vai do km 196, ao lado do Centro de Eventos Petry, ao km 218, em Palhoça. Assim, o prazo estabelecido para a conclusão da primeira parte da obra, que corresponde ao trecho de São José, que foi único que manteve o traçado inicial, é de dois anos.

Para o diretor e superintendente da concessionária, Paulo Castro, até o início da obra do trecho que compreende a SC- 408, próximo a Petrobrás, em Biguaçu, e a SC-407, em São José, o início da alça, a partir do Rio Inferninho, na Estiva, deverá ter a licença liberada pelo Ibama. "Já estamos preparando o projeto para encaminhá-lo ao Ibama. O maior problema está com o trecho de Palhoça, que ainda não foi definido exatamente por onde a alça irá passar, pois estamos desenvolvendo o estudo de viabilidade", afirmou Castro.

O anúncio da conclusão do trecho que corta São José é uma esperança para moradores e autoridades do município. Para o vereador Sanderson de Jesus, a cidade é uma das mais afetadas pelo trânsito caótico da BR-101. "Além das filas intermináveis que afetam diretamente a população e a economia de São José, os acidentes nesse trecho da rodovia, exigem medidas urgentes e definições por parte da concessionária", declarou.

Presente na audiência, o deputado federal Esperidião Amim fez questão de ressaltar os atrasos da obra. Segundo ele, o cronograma entregue pela ANTT em junho deste ano dava como prazo para entrega final de toda obra o ano de 2017, data muito superior a prevista inicialmente (2012) que depois foi prorrogada para 2015. "Falam em atraso, mas isso não é um problema da população. Tenho certeza que o Ministério Público e o Tribunal de Contas estão de olho nessas audiências e fiscalizarão as obras", disse o deputado.





Enviado via iPhone

Nenhum comentário:

Postar um comentário