segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

GP1 percorre cemitério de obras de mobilidade urbana paralisadas em várias regiões de Teresina

04/01/2015 - GP1 - Teresina/PI

A cidade de Teresina se transformou em um verdadeiro cemitério de obras que acumulam promessas de mudanças, ultrapassando várias gestões.

O GP1 visitou as obras do Rodoanel, as duplicações das BRs 316 e 343,a construção do elevado no balão da Avenida Miguel Rosa e constatou a mesma situação de abandono. Em alguns casos, restos de materiais de construção dispostos nos canteiros de obras estão sendo roubados, pois não há nenhuma segurança.

Orçada em R$ 80 milhões de reais, a construção do Rodoanel teve início ainda no governo do ex-governador Wilson Martins, que destinou recursos oriundos do Tesouro Estadual, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), mas que esbarrou na incapacidade da administração pública em atentar para aspectos levantados pelo Ministério Público Federal, que constatou irregularidades nas obras, desde usurpação de área da União, licenciamento ambiental inadequado e ainda a ausência de atuação do Ibama no próprio licenciamento, fato que culminou com a paralisação das obras diante de decisão judicial.

Depois de vários meses em construção, dos 28,6 km de rodovia, apenas 7,3 km foram pavimentados. A ponte sobre o Rio Poti ficou no meio do caminho, os viadutos destinados aos acessos às BRs não avançaram, e o inchaço de veículos na malha viária urbana da capital somente cresceu.

Outra tentativa de melhorar a situação da mobilidade urbana em Teresina também sucumbiu ao tempo. Os dois pequenos trechos de duplicação das BRs 343 e 316 tiveram suas obras iniciadas e depois de poucos meses deixaram um rastro de abandono e revolta da população que vive nas proximidades. Atualmente, o que se vê são trechos de terraplenagens que se deterioraram com as chuvas e restos de materiais que deixados para trás.

Situação não muito diferente à encontrada por trás dos tapumes que tornam invisível o que, de fato, não existe no balão da Avenida Miguel Rosa. A execução dos serviços de construção de um elevado rodoviário (viaduto) com rotatória sobre a BR-316, Avenida Miguel Rosa com Avenida Getúlio Vargas na BR 343 em Teresina ficou apenas na placa, que informa ainda que a obra deve custar aos cofres públicos mais de R$ 28 milhões de reais, com a promessa de conclusão em 360 dias.

Em descompasso com o crescimento populacional de Teresina, a mobilidade urbana passou a ser um lema de campanha eleitoral, que não representa aumento na qualidade de vida proposta aos teresinenses.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário